Mãe Rainha

*A devoção a Nossa Senhora de Schoenstatt surgiu em 1914, quando em 18 de outubro, o padre José Kentenich, ao fazer uma palestra aos alunos do Seminário em Schoenstatt, na Alemanha, inspirado por Deus, fez um convite para rezarem, se consagrarem a Maria e oferecer-lhe sacrifícios, especialmente pela autoeducação, para que a capelinha da Congregação, então consagrada a São Miguel, se tornasse um Santuário de graças, núcleo de um movimento de renovação que se espalhasse por todo o mundo. A capelinha deveria tornar-se, assim, um local de manifestação das glórias de Nossa Senhora, especialmente de sua ação como Educadora. O objetivo é a educação de um homem novo e a construção de uma nova sociedade.

Schoenstatt (Schönstatt – que significa Belo Lugar) é uma região da cidade de Vallendar, próximo de Coblença, às margens do Rio Reno.

Réplicas dessa capelinha percorrem as casas dos fiéis e muitos têm sido os relatos de graças recebidas pelos que as recebem em seus lares ou peregrinam aos santuários dedicados a Nossa Senhora de Schoenstatt, que então se espalharam pelo mundo inteiro.  Como intercessora junto a Deus, a Mãe e Rainha alcança para todos os que a procuram nos santuários a tríplice graça: a graça do abrigo espiritual, da transformação interior e da fecundidade apostólica.

Na Paróquia São Tiago Maior, o Movimento Mãe e Rainha se encontra nas casas dos integrantes e também em toda terceira sexta feira do mês na missa das 19h, na Matriz.

*Texto extraído do site na web; http://www.a12.com/academia/titulos-de-nossa-senhora/nossa-senhora-mae-rainha-e-vencedora-tres-vezes-admiravel-de-schoenstatt