Notícias em Destaque

História Inspiradora; "quando o abraço da mãe é mais forte que a morte".


Os médicos declararam a morte do bebê prematuro. Mas o amor, a vida e um abraço de 2 horas discordaram dessa opinião "técnica"!

Os pequenos gêmeos australianos Emily e Jamie Ogg nasceram prematuros. Enquanto a menininha resistiu ao parto complicado, o menino, após 20 minutos de aparente fracasso na luta pela vida, foi declarado morto pelos médicos.

Nascido na 27ª semana de gestação, com apenas 900 gramas, Jamie foi entregue à mãe, Kate, e ao pai, David, para se despedirem do filhinho que mal acabara de vir à luz.

Quanto recebeu a notícia trágica, a mamãe desenrolou um cobertor para envolver o pequeno, colocou-o próximo ao seu peito e, emocionada, começou a conversar com ele enquanto o abraçava. Kate não conseguia se separar do filhinho. Foram nada menos que duas horas de abraço; duas horas de um abraço que ela queria que jamais acabasse.

Ao longo desse tempo em que a mamãe acariciava o filho “morto” e conversava com ele, Jamie começou, inexplicavelmente, a demonstrar sinais de vida!

Foi então que a mãe colocou um pouco do próprio leite materno em seu dedo e com ele tocou nos lábios do menininho, que se pôs a chorar!

“Nós estávamos tentando convencê-lo a ficar. Eu contei a ele qual ia ser o nome dele, contei que ele tinha uma irmãzinha gêmea. E, de repente, ele começou a ofegar e abriu os olhinhos! Ele respirava enquanto segurava no dedo do Dave”, relatou Kate ao jornal britânico Daily Mail.