Notícias em Destaque

Um batizado que não sente necessidade de evangelizar não é um bom cristão, assinala o Papa


Vaticano, 15 Jul. 18 / 01:00 pm (ACI).-

O Papa Francisco presidiu a oração do Ângelus oração na Praça de São Pedro, na qual explicou as duas características do "estilo missionário", e assinalou que uma pessoa batizada que não sente a necessidade de anunciar o Evangelho não é um bom cristão.

Antes da oração mariana, o Pontífice refletiu sobre a passagem do Evangelho em que Jesus envia seus discípulos, "depois de chamá-los pelo seu nome" e que eles eram testemunhas de suas palavras e curas.

Neste sentido, “o Santo Padre refletiu sobre os dois pontos do estilo missionário: a missão tem um centro e a missão tem um rosto”.

O primeiro, assinalou, é que o discípulo missionário “tem antes de tudo um seu centro de referência, que é a pessoa de Jesus”, ou seja que o trabalho dos doze tem um centro de irradiação que é reproduzir aos outros “a presença e da obra de Jesus em sua ação missionária”.

“Isso mostra como os Apóstolos não têm nada de próprio para anunciar, nem própria capacidade de demonstrar, mas falam e agem como ‘enviados’, como mensageiros de Jesus”, indicou.

Francisco disse que este episódio “também diz respeito a todos os batizados, chamados a dar testemunho em vários ambientes da vida, o Evangelho de Cristo”.

“E também para nós esta missão é autêntica, somente a partir do seu centro imutável que é Jesus. Não é uma iniciativa individual dos fiéis, nem dos grupos e nem mesmo das grandes agremiações, mas é a missão da Igrejainseparavelmente unida ao seu Senhor”.

“Nenhum cristão proclama o Evangelho ‘por si mesmo’, mas somente enviado pela Igreja que recebeu o mandato do próprio Cristo. É precisamente o Batismo que nos torna missionários. Um batizado que não sente a necessidade de anunciar o Evangelho, de anunciar Jesus, não é um bom cristão”, afirmou o Papa.